Do Oiapoque ao Chuí, a força de uma raiz | audio

ALTERAR TAMANHO DAS LETRAS

Indique o site a um Amigo



Do Oiapoque ao Chuí, a força de uma raiz
Escrito por Adriane Lazaroto   

Compartilhe esta matéria

Do Oiapoque ao Chuí, a força de uma raiz



Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.




DO OIAPOQUE AO CHUÍ – A FORÇA DE UMA RAIZ

Trilha sonora – forró ao clássico

Maniçoba, tacacá e tucupi. Falando assim parecem apenas nomes indígenas. Mas na verdade são pratos regionais da culinária do Pará. O que eles possuem em comum? Todos são preparados com um ingrediente tipicamente brasileiro, a mandioca.

Trilha sonora

A mandioca é uma raiz com casca escura, sendo que seu interior branco é a parte mais aproveitada para o consumo. É conhecida por vários nomes como macaxeira no nordeste e aipim no sul do país. Possui variedades, sendo que a mais comum é a mandioca-doce. O outro tipo conhecido é a mandioca-brava utilizada em receitas típicas como o tucupi.

Tiro de canhão

Destaque na mesa dos nordestinos logo no café da manhã, a mandioca é tida como uma das razões que fizeram com que os portugueses se fixassem no Brasil, pois eles encontravam neste alimento o trigo que aqui não havia. Segundo a carta de Pero Vaz de Caminha do ano de 1500 sobre o Brasil, o português declara que a mandioca era o segredo dos índios:

Nem comem senão desse inhame (mandioca), que aqui há muito,”. “E com isso (essa dieta) andam tais e tão rijos e tão nédios, que o não somos nós tanto, com quanto trigo e legumes comemos”

Trilha sonora

Esse relato mostra que antes mesmo do descobrimento do Brasil, a mandioca já era consumida. Para a historiadora Neusa Cavalcanti autora do livro Mandioca, o Pão do Brasil, o país também seria a região de surgimento da raiz.

Porque havia uma concepção de que a mandioca era um alimento de origem mexicana, havia sido publicado um trabalho nos jornais e se acreditou nesta versão. E esta pesquisa da Embrapa foi feito um seqüenciamento de DNA e eles encontraram os ancestrais da mandioca no Brasil antes dela ser domesticada. Eles encontraram a planta ainda selvagem e aí pelo seqüenciamento do DNA ficou provado que a mandioca é a contribuição brasileira para a alimentação do mundo.

Trilha sonora

A mandioca é muito consumida no Brasil, talvez pela sua consistência que lembra a batata com mais trigo ou simplesmente pelas diversas maneiras com que pode ser servida: ela pode ser frita, cozida, amassada que sempre é um bom prato. Além disso, a raiz é cultivada em todos os cantos do país tanto no sertão nordestino quanto no sul.

Em todo território brasileiro. É um alimento que faz parte da alimentação de todo país. No norte e nordeste ela é mais consumida. No norte então nem se fala, porque ela é a base da alimentação amazônica. Interessante deste livro foi que, por exemplo, o maior produto de amido de mandioca no Brasil está no Paraná que é um lugar que quase nem se consome mandioca, quer dizer uma farofinha e tal, mas não é a base da alimentação paranaense. Foi muito curioso para gente porque a gente descobriu o amido de mandioca para fins industriais.

Farelo escorregando

Trilha sonora

A raiz também é utilizada na produção da farinha de mandioca e da tapioca. Dela também se faz o polvilho, ingrediente essencial do pão de queijo. Além disso, a mandioca é o principal produto de um dos pratos mais brasileiros, o escondidinho.

Trilha sonora

Para explicar a origem da mandioca, destaca-se uma lenda de 1876, registrada por Couto Magalhães:

A filha de um chefe selvagem apareceu grávida. O pai da moça que pensou em matá-la, desistiu. Passados os nove meses, ela deu à luz uma menina branca, causando surpresa na tribo. A criança, chamada de Mani, andou e falou muito rápido, mas morreu em um ano. Ela foi enterrada dentro da própria casa. Após um tempo, brotou da cova uma planta que, cresceu e deu frutos. Ao cavarem a terra, as pessoas reconheceram o fruto que encontraram como o corpo de Mani. Comeram e assim aprenderam a usar a mandioca.

DO OIAPOQUE AO CHUÍ – A FORÇA DE UMA RAIZ É UM AUDIODOCUMENTÁRIO DO SITE AUDIODOCS

PRODUÇÃO E PESQUISA DE ADRIANE LAZAROTO.

COLABORAÇÃO E AGRADECIMENTO NEUSA CAVALCANTI